Rota Zé Maria comprova impactos do agronegócio no Ceará

Um dos efeitos negativos é a contaminação das águas por agrotóxicos utilizados pelas empresas de fruticultura irrigada que recebem água do perímetro Jaguaribe-Apodi

A Rota Zé Maria de Tomé, que integra a Caravana Agroecológica e Cultural da Chapada do Apodi, visitou o município de Limoeiro do Norte, no Ceará. Os participantes, a maioria agricultores e agricultoras, além de estudantes da Universidade Federal do Ceará (UFC), integrantes de organizações e movimentos da sociedade civil e pesquisadores do Brasil e da América Latina, conheceram áreas de implantação do Perímetro Irrigado Jaguaribe-Apodi onde estão são desenvolvidas atividades de fruticultura Irrigada.

Pela manhã, os participantes da Rota Zé Maria seguiram para uma fábrica de reciclagem de plástico usado na plantação irrigada de melão, na região. Eles compram o plástico das empresas de fruticultura e cortam e lavam para que o material siga para outra empresa que recicla o plástico para a confecção de sacos de lixo. “Há algum tempo tinha vindo aqui na Chapada do Apodi visitar algumas famílias. E hoje o que estou vendo aqui é a confirmação de que o Estado está contribuindo e provocando os conflitos que estão acontecendo porque ele tem promovido à saída das famílias das comunidades. Infelizmente, o Estado em vez de ficar do lado do povo, tá do lado das grandes empresas. E a gente percebe isso pela situação de degradação e pelo depoimento das famílias”, relata Giovane Leão, da Mata Sul de Pernambuco e  integrante da Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Momento de prosa sobre as experiências visitadas em Limoeiro do Norte (CE) | Foto: Catarina de Angola

Momento de prosa sobre as experiências visitadas em Limoeiro do Norte (CE) | Foto: Catarina de Angola

Os participantes da rota conheceram e detectaram o risco que os funcionários da empresa estão expostos ao manusear o material. Depois, seguiram pelo canal que leva água para irrigar a produção de fruticultura das empresas instaladas na região. A água está contaminada pelo uso de agrotóxicos e é a mesma que abastece a população de Limoeiro do Norte. No fim do dia, houve uma roda de conversa sobre as experiências visitadas. O intercâmbio terminou no memorial Zé Maria com exibição do  vídeo sobre a situação da Chapada do Apodi. Amanhã (25), penúltimo dia da caravana, a Rota Zé Maria segue pelo assentamento Oziel Alves e a comunidade de Caatingueirinha, localizados no município de Potiretama, na mesorregião do Jaguaribe, conhecida pela riqueza das experiências agroecológicas. Ao final do dia, todas as rotas, se encontram em Apodi para um ato público em solidariedade ao acampamento Edivan Pinto, símbolo de resistência das famílias da Chapada ao projeto de irrigação do DNOCS que avança do lado potiguar da região.

Por Catarina de Angola
Limoeiro do Norte (CE)

Edição e colaboração
Gleiceani Nogueira
Apodi (RN)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s